Empatia ou Simpatia? Uma questão para a Educação

Daniela Melo é venezuelana, especializada em Educação Infantil e pós-graduanda em bilinguismo. Trabalha na área da educação bilíngue há 10 anos. Já morou e trabalhou em Dubai e agora vive no Brasil.

O dicionário define empatia como: “A participação afetiva de uma pessoa em uma realidade estranha a ela, geralmente nos sentimentos de outrapessoa".Em contraposição, a simpatia é definida como: "Sentimento, geralmente instintivo, de afeto ou inclinação para uma pessoa ou para sua atitude ou comportamento, que faz com que você ache sua presença agradável e deseje que as coisas boas lhe aconteçam".


A psicóloga Brene Brown marca a diferença entre os conceitos mencionados de uma forma muito simples. A simpatia não promove conexão, pelo contrário, a afasta. Já a empatia gera conexão, por meio dela você se conecta com o que o outro está sentindo. Ela nos fornece a capacidade de compreender a perspectiva do outro, sem julgá-lo em momento nenhum.

Um dos aprendizados mais importantes que tive como professora foi o de compreender a necessidade de ouvir o aluno e entendê-lo. Fazer o exercício de nos colocar no lugar do outro, entender o que os outros estão sentindo e, especialmente, prestar atenção aos sinais contínuos que o aluno está te dando é de fundamental importância para os profissionais da educação.


Sete anos atrás, devido ao trabalho do meu marido, nos mudamos para Dubai para um projeto da empresa e tive o imenso prazer de ter a oportunidade de trabalhar em uma escola internacional. Fui presenteada com a possibilidade de trabalhar com crianças de diferentes nacionalidades, incluindo um menino paquistanês que tinha o hábito de atirar brinquedos e bater continuamente na mesa.