© 2019  FLY EDUCAÇÃO E CULTURA.

  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • Black LinkedIn Icon

October 11, 2019

Please reload

Posts Recentes

Líderes empáticos: por que o futuro é deles?

September 18, 2019

1/8
Please reload

Posts Em Destaque

Aluno cidadão

May 30, 2017

 

Segundo o verbete para a palavra escola, há a definição “Estabelecimento público ou privado onde se ministra ensino coletivo”. Entende-se, portanto, a concepção da escola enquanto ambiente de convivência e coletividade. Ampliando o pensamento, tem-se justamente uma coletividade que se coloca ao lado de uma experiência de convivência em grupo e a partir da qual se aprendem as questões da vida em sociedade. Mais do que isso, não apenas se aprende sobre a vida social, mas aprende-se a viver na sociedade, convivendo com todos os que estão ao redor, com pessoas diferentes ou semelhantes a si. De modo geral, pode-se dizer que a escola, de fato, incorpora a coletividade em sua estrutura. A forma com a qual isso é feito, contudo, muitas vezes não leva em consideração o aspecto da cidadania que está nela envolvido.

 

O espaço que seria da constituição do aluno como cidadão muitas vezes se perde para a constituição do aluno como estudante exclusivamente, o que significa que o trabalho do desenvolvimento do papel de cidadãos fica em segundo plano em relação ao desenvolvimento da capacidade de resolver questões de provas escritas. Em relação a isso, pode-se destacar a importância do pensamento lógico, o qual é trabalhado primariamente, na formação escolar. Uma educação social leva em conta também o funcionamento do sistema social, em grande parte comandado por situações em que o raciocino lógico é essencial. Deste modo, as matérias ensinadas na escola são realmente importantes para uma formação completa, mas esse ponto pode muitas vezes se tornar de tal maneira predominante, que o lado essencialmente social torna-se secundário.

 

Entenda-se: o crescimento do aluno enquanto estudante é tão relevante quanto o crescimento do aluno enquanto cidadão. De modo geral, a concepção comum da população é a da escola enquanto ambiente de educação formal, onde se aprendem assuntos muito específicos. O que acontece, portanto, é uma perda da noção primária que cerca a própria ideia de escola. Não seria este o lugar onde se aprende para em seguida continuar aprendendo e depois exercer-se um papel profissional dentro de uma sociedade? Parece às vezes faltar para a população a ideia básica de que a escola é o primeiro passo para um futuro papel social, não um momento da vida que estará dissociado da fase adulta ou uma preparação para um processo seletivo.

 

Muitas vezes o processo de desenvolvimento na escola se confunde com um objetivo que visa exclusivamente a um fim único pré-determinado, o qual não leva em consideração que o social também precisa da ajuda mútua, da colaboração dos grupos entre si, bem como dos atuantes dentro de cada grupo. É importante que os alunos desde o começo da vida escolar tenham noção de que é necessário respeitar todos que estão ao redor, e que os “outros” podem ajudar e podem ser ajudados. É importante entender que o pensamento conjunto não é menos efetivo, ao contrário, pode ser mais forte por tratar de mais de um ponto de vista. É o

ponto de entender, mesmo indiretamente, que cada indivíduo possui seu valor justamente por ter experiências únicas, as quais podem contribuir para a melhoria do todo, uma melhoria que às vezes não pode ser pensada isoladamente. Da mesma maneira, é muito interessante o papel da escola em desenvolver gostos pessoais, fazendo com que cada aluno consiga entender o seu próprio perfil em relação a preferências de estudos e processos.

 

É importante que a escola seja o ambiente em que se formam os gostos dos alunos, exercitando, portanto, o aluno como estudante e desenvolvendo a aquisição de conhecimentos teóricos, já que esses serão essenciais para a constituição profissional nas próximas etapas, mas não apenas isso. Os conhecimentos adquiridos na escola são úteis para o cotidiano de uma vida mais independente e, principalmente, mais consciente. Falta, contudo, que a consciência do conhecimento seja desenvolvido e aproveitado, porque falta para as pessoas a percepção de que a ação na sociedade tem importância e que a vida em conjunto vai muito além da convivência passiva diária.

 

Fontes:

 

https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/cidadania-tambem-se-aprende-na-escola-20363281

http://www.uel.br/eventos/jornadadidatica/pages/arquivos/III%20Jornada%20de%20Didatica%20-%20Desafios%20para%20a%20Docencia%20e%20II%20Seminario%20de%20Pesquisa%20do%20CEMAD/CIDADANIA%20EM%20CONTEXTO%20ESCOLAR.pdf

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga