© 2019  FLY EDUCAÇÃO E CULTURA.

  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • Black LinkedIn Icon

October 11, 2019

Please reload

Posts Recentes

Líderes empáticos: por que o futuro é deles?

September 18, 2019

1/8
Please reload

Posts Em Destaque

Importancia da Capacitação de Competências Socioemocionais para Educadores

December 20, 2018

Onde começa a Formação do Aluno?

A nova BNCC exige que o aluno seja protagonista. Mas não podemos esquecer que a formação do aluno começa pela formação do Profesor...
 


Quando se fala em educação, a imagem que vem na mente, em geral, é de uma sala de aula de ensino fundamental, com carteiras, alunos enfileirados e uma professora na frente. Mas a educação compreende um amplo espectro, que vai desde a alfabetização, passando por autoconhecimento e competências socioemocionais, que forma parte da chamada cultura do “faça você mesmo” -DIY, Do It Yourself em inglês.
 

Onde começa a

Formação do Aluno?

 

A nova BNCC exige que o aluno seja protagonista. Mas não podemos esquecer que a formação do aluno começa pela formação do Profesor -né?-. Ela precisa combinar embasamento teórico com formações práticas. A nova educação exige, também, dar espaço ao aluno para estar no centro de tudo sempre -sim, sempre!-. Como não poderia deixar de ser, é um requisito para as escolas que desejem permanecer no mercado evolucionar para um modelo inovador. O processo de aplicação da BNCC dá a oportunidade de identificar qual é a causa ou o problema que você quer resolver na sua escola. O que não necessariamente é estanque. Pode mudar ao longo dos meses e até anos. Por exemplo, você pode achar que o maior desafio da sua escola é incrementar a porcentagem do ENEM e o ingreso do aluno das Universidades, mas não consegue conectar isso com o baixo engajamento do aluno que, pode estar causado, pela baixa autoestima que tem, ou o pouco considerado que sente-se na sua casa, na sua sala de aula e por aí vai.

 

Porque capacitar

o Professor?


Nos mais de três anos que a Fly Educação opera em escolas brasileiras, vários professores tão apaixonados pela educação como nós tem perdido -ou disminuido- o seu desejo de legado e transformação da educação. A verdade é que não é fácil trabalhar 8hrs por dia lidando com 40 crianças e/ou jovens. Um exemplo é a Profª Cintia, moradora de Socorro, SP que lembra com amor como começou o seu trabalho na escola e hoje, com uma carreira consolidada, largou tudo e foi trabalhar no Setor Privado. Ela tornou o que muitos outros são: Professores Frustrados pela falta de impacto que sentem que geram.

E, nem todos os colaboradores de uma escola conseguem ser re-alocados em vagas administrativas no mercado atual. E é isso está matando o Brasil.

Sim, isso mesmo, matando.

Com um professor incapaz -não por falta de vontade e sim por falta de oportunidade- de lidar com um jovem empoderado do século XXI passa de ser um entusiasta da educação a um desesperançado dela. E, todos sabemos que apenas por meio da transformação da educação o nosso país consegue evoluir. Pelo qual a falta de capacitação do seu professor leva, sim, a um pais mediocre e ignorante.

 

Como podemos capacitar

os nossos professores?

 

Catarina, Líder do Núcleo Educação e Professora Diferentona do Projeto Semente costuma dizer que a inovação vem de dentro. “Sem as ferramentas certas pra liderar mudanças na sua própria vida, é quase impossível resolver desafios na vida dos outros”. 
 

Uma das principais alternativas de transformação dos professores é no incentivo da escola pelo Autoconhecimento; promover workshops e palestras onde o professor consiga olhar para dentro de se é primordial. Igualmente, cultivar o espaço de diálogo com metodologias disruptivas como por exemplo World Café, Aquário, Open Space, entre outras é uma ótima alternativa para coletar sabedoria do coletivo.

 

É prioridade que a escola entenda que com professores satisfeitos e felizes eles tem ouro -sim, ouro mesmo. Cada professor satisfeito vai formar alunos apaixonados pelo conhecimento, pela vida e pela escola, quem nunca amou um lugar por conta duma pessoa?- na palma da suas mãos, e mais vale aproveita-lo para esse valor agregado não corra para outro lugar que seja apreciado e valorizado sim.

 

Finalmente uma das melhores alternativas de capacitação dos Professores por meio das Competências Socioemocionais é lhes prover de aptitudes de resolução de conflito, co-criação e descoberta poderosa; e a mais brilhante forma de alcançar isso é seguindo o exemplo do Design Thinking, que desenvolvendo pensamento critico-criativo e empatia consegue que um grupo seleto de pessoas criem uma solução especifica desde um problema geral. Parece maravilhoso, não parece? :)

 

Onde outros vêm problemas

você pode olhar para soluções

 

Depois de varios anos com o desafio de engajar os professores a Líder do Núcleo Educação, Catarina, junto com o equipe Fly Educação, após múltiplas reuniões de discussão de engajamento e tentativas de incremento de felicidade para o equipo escolheram seguir os passos do DT e prototipar um Programa de Competências Socioemocionais -bem similar a aquele que levam aos alunos por meio do Projeto Semente- que oferece uma capacitação em 3 focos:

1. A (re)conexão do Professor com ele mesmo por meio da Empatia, Comunicação Não Violenta e Autoconhecimento;

2. A (re)conexão do Professor com os outros por meio da co-criação, colaboração e sentimento de solidariedade; e

3. A (re)conexão com do Professor com o mundo através dum jogo que simula o sentimento emprendedor, conectando o participante com as sua essência e talento e ao mesmo tempo o que ele pode ofertar para o mundo.

 

Dessa forma, a transformação social vem apenas da mudança que consigamos aplicar nos nossos jovens, só que não podemos esquecer que quem forma os jovens são os nossos professores e precisamos los valorizar, empoderar e capacitar. Vida longa aos Professores!

Para levar o protótipo da Capacitação de Professores da Fly Educação para a sua escola não duvide entrar em contato e solicitar um orçamento.